THE FASHION T'S

Fashion. Make. Beauty. More.


Leave a comment

O cara que faz um folk meio triste

Thalles Cabral ficou conhecido recentemente por seu papel na novela Amor à Vida. O jovem interpretava Jonathan, filho de Félix (Mateus Solano), e ganhou bastante reconhecimento pelo seu papel.

O que poucos sabem é que o garoto tem talentos que vão além da atuação. Com 20 anos completados no último mês, Thalles já teve experiência como diretor e roteirista de uma websérie e lançou um EP com canções de sua própria autoria.

IMG_2446

(Foto: Maria Eduarda Amorim)

Ele descobriu seu interesse pelo teatro ainda criança. Aos sete anos de idade começou a ter aulas e, em 2009, entrou para a Escola de atores Wolf Maya, de onde saiu formado em 2012.

Além de investir na carreira de ator e músico, Thalles começou a cursar cinema na FAAP em 2012, e, no segundo semestre, transferiu o curso para a Academia Internacional de Cinema.

Ele colocou em prática o que aprendeu na faculdade com a criação da websérie Cápsula, que vou descrever como instigante e inteligente para não dar spoiler para quem não conhece.

Já o gosto pela música surgiu em 2005, quando ganhou seu primeiro violão e começou a ter aulas. Em 2012, ele deu início à gravação de seu primeiro EP, intitulado That’s What We Were Made For, que contém sete faixas. Fã de Kurt Cobain, The Beatles, Arctic Monkeys e Radiohead, suas músicas são o que ele chama de “um folk meio triste”, um estilo que me prendeu e que fez com que eu me tornasse fã e admiradora de seu trabalho.

Em fevereiro tive o prazer de assistir a um de seus shows em São Paulo e comprovei que ele é um artista dos bons. Mesmo com a fama, ele não perdeu a simplicidade e o carisma. Atendeu todos os fãs ao final do show, conversando, respondendo perguntas, tirando fotos e autografando os EPs.

Como jornalista não perde a oportunidade de fazer uma entrevista, trocamos alguns e-mails e agora coloco aqui o pouco que sei desse jovem talento.

ENTREVISTA

O que te inspira a compor?

Thalles Cabral: Ah, muita coisa. Eu sou bem observador. As pessoas me comovem bastante e, consequentemente, me inspiram. Assisto a muitos filmes também e, de vez em quando, alguns personagens me inspiram. Não sou muito autobiográfico nas minhas letras. A grande maioria é sobre personagens, quase como um conto e tem um início, meio e fim.

Por que suas composições são em Inglês?

TC: Porque a primeira música que eu escrevi, que foi completamente sem querer, foi em inglês. E a segunda também, e a terceira… E quando vi já tinha umas vinte músicas escritas em inglês. Isso nunca foi algo pré-estabelecido pra mim, do tipo “só escreverei em inglês”, não. Foi algo extremamente natural e despretensioso.

Você tem pretensões de compor em português?

TC: Eu tenho uma única música em português. As estrofes do início são em inglês e o refrão em português. Mas está inacabada. Talvez eu termine ela algum dia.

Qual sua opinião sobre a música brasileira atualmente? Tem algum artista preferido?

TC: A minha opinião é que a mídia valoriza demais, de forma até exagerada, alguns artistas que não deveriam ter todo esse foco. É assustador ver a idolatração da imprensa por músicas que, muitas vezes, são de extremo mau gosto. Por outro lado, existe milhares de artistas talentosos com trabalhos primorosos na internet e que, infelizmente, são pouco conhecidos. Gosto muito do trabalho da Apanhador Só, A Banda mais Bonita da Cidade, Cícero, Criolo, Los Hermanos, Marcelo Jeneci, Mallu Magalhães, Pélico, Phill Veras, Phillip Long, SILVA, Thiago Pethit, Tiago Iorc, Tom Custódio da Luz, Toni Ferreira, e muitos outros.

 Como você enxerga o público brasileiro em relação à nova música nacional?

TC: Acho que as pessoas são um pouco resistentes a coisas novas, principalmente na arte. Mas faz parte do show (risos). Nós, artistas, temos que chegar até o público e não esperar o público chegar até nós.

O que a música e o teatro significam pra você?

TC: Se esses dois não existissem, não sei o que eu faria da vida. Me sinto muito feliz e realizado fazendo essas duas coisas.

Como surgiu a ideia da websérie Cápsula? Você pretende dar continuidade a ela?

TC: A ideia de criar uma websérie surgiu da necessidade de colocar em prática o que estávamos aprendendo na faculdade de Cinema. Juntamos uma equipe bem legal de amigos e começamos a produzir a 1ª temporada. Já a ideia da trama de Cápsula surgiu do resultado de algumas reuniões de braimstorm. Eu e a Larissa Ribeiro, atriz e criadora da websérie, conversávamos muito e buscávamos muitas referências em filmes de suspense e ficção científica. E esse assunto sobre a indústria farmacêutica é uma discussão que sempre me interessou muito.

Quanto ao futuro de Cápsula, eu tenho alguns projetos que incluem ela. Tenho um carinho muito grande por esse trabalho, pois foi feito por pessoas que realmente queriam que desse certo e quase nada de grana. Nós aprendemos muito, foi uma boa experiência. Mas penso em uma continuidade, sim.

Além da websérie, você tem outros projetos ou roteiros? Pretende escrever coisas novas?

TC: Tenho muitos projetos, esse talvez seja até um grande problema que eu tenho (risos). Tenho uma lista de projetos que quero realizar. Atualmente estou escrevendo um roteiro para um longa-metragem que quero rodar de forma independente. Estou bastante empolgado.

Qual o lado bom e o lado ruim da fama?

TC: O lado bom é o reconhecimento pelo seu trabalho e a repercussão que ele tem pelo país todo. Novela é ainda um produto muito assistido pelos brasileiros. E o legal é que muita gente vai buscar sobre você na internet e acaba descobrindo outras coisas, no meu caso o trabalho musical e outros projetos, por exemplo. E o lado ruim é a falta de privacidade, algumas pessoas realmente passam dos limites e isso incomoda.

Qual foi a sensação se estrear na televisão em uma novela das 9?

TC: Ah, foi um turbilhão de sentimentos. É bem difícil tentar explicar tudo o que eu senti nesse último ano. Mas foi um misto de alegria, ansiedade e realização. Trabalhei com grandes atores e aprendi muito.

Quais são seus planos agora com o fim da novela? Já tem algum trabalho em mente ou músicas novas?

TC: Sim, em abril começo uma turnê pelo Brasil. Vou levar o show do EP That’s What We Were Made For para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. E ainda no primeiro semestre devo ir para outros estados também. Vou lançar um projeto de covers no canal do Youtube e algumas músicas inéditas.

Você pode conferir a agenda de shows e o EP That’s What We Were Made For no site do cantor!

Advertisements


Leave a comment

A verdade sobre um bom show

Quem me conhece, sabe que sou apaixonada pela cantora P!nk. O CD Missundaztood foi o primeiro que comprei na vida, há mais de dez anos, e a partir daí nunca mais parei de acompanhar o trabalho dela (e de torcer para que ela pise logo em terrinhas brasileiras!). Então, quando soube do lançamento de seu novo DVD The Truth About Love Tour, no final de 2013, corri para garantir o meu.

z vs x

Alecia Beth Moore, a P!nk, já ganhou notoriedade internacional devido aos seus shows cheios de malabares, coreografias e, principalmente, elementos circenses. E, claro, graças a sua potente voz. Com o sucesso da turnê Funhouse, em 2009, todos se perguntavam: “o que essa doida pode aprontar ainda?” Depois de cantar de ponta cabeça, voar pelo palco e se pendurar em tecidos acrobáticos, era mesmo difícil saber como ela superaria o sucesso dessa turnê. Mas ela conseguiu.

A cantora americana passou por 140 países da América do Norte, Europa e Austrália em um ano e foi uma das artistas que mais vendeu ingressos em 2013. A Truth About Love Tour é a sexta turnê da P!nk e rendeu o DVD que citei anteriormente,  gravado em Melbourn, Austrália. Com ele, podemos ver que a cantora continua com suas típicas performances circenses, mas também adicionou atrações novas, como a gaiola em que ela e seus dançarinos ficam pendurados e girando enquanto ela canta a música Sober. E o mais incrível de tudo isso: ela teve uma filha há pouquíssimo tempo.

P!nk "The Truth About Love" Tour Opener - Phoenix

O DVD conta com 21 faixas e, além das músicas do último CD de P!nk, como Blow Me (One Last Kiss), Try Just Give Me a Reason, também podemos assisti-la apresentando grandes sucessos, como Just Like a Pill, Who Knew Raise Your Glass. São quase duas horas de show, sem contar com os extras, que mostram a vida da artista quando está turnê, sua rotina, os ensaios e até como ela cuida da sua filhinha de dois anos, Willow (que é a coisinha mais fofa desse universo!).

Também não posso esquecer de elogiar a equipe da P!nk. A banda, as cantoras de apoio e os dançarinos são incríveis! Sem eles, não seria o mesmo show, de forma alguma. Ou seja, vale a pena adquirir esse DVD para a sua coleção. Duas horas de puro entretenimento e talento.

Confiram o trailer do DVD:


Leave a comment

Beyoncé lança seu quinto álbum

foto: Glamour

fonte: Glamour

Na madrugada de hoje, dia 13, Beyoncé divulgou seu quinto álbum, contrariando todas as expectativas – já que o lançamento estava previsto pra 2014. São 14 canções e 17 vídeos do álbum chamado “Beyoncé”.

Em um dos vídeos, “Blue”, que foi gravado no Brasil, Queen B aparece dançando na praia e jogando futebol com crianças, além de ter a participação da filha Blue Ivy.

Jay-Z, as ex-companheiras de Destiny’s Child e Justin Timberlake também participaram das gravações.

Beyoncé divulgou um vídeo em sua página no Facebook falando sobre música e explica que não quis só produzir um álbum, mas mostrar o modo que ela enxerga tudo ao redor, o que ela chama de “álbum visual”.

O álbum está disponível no iTunes.

Confira a prévia do álbum:

E o treco do clipe de Bey com a filha:


Leave a comment

Dica musical: Imagine Dragons

Recentemente, foi divulgado o line-up do Lollapalooza Brasil 2014 e bandas como Muse, Arcade Fire, Soundgarden e Nine Inch Nails tiveram presença confirmada em nosso país. Porém, o grupo que me chamou atenção na enorme lista foi Imagine Dragons. Eu já conhecia uma ou duas músicas dos caras, mas graças à minha eterna preguiça de conhecer novidades, nunca tinha parado para ouvir a discografia com a atenção. Com o anúncio do line-up, decidi arriscar e… amei.

6BB60446-9261-AD2C-AF851F86DBB5FE7C

Imagine Dragons foi formada em 2008, mas só lançou seu primeiro álbum de estúdio, Night Visions, em 2012. A banda de indie rock é composta por Dan Reynolds (vocalista), Wayne “Wing” Sermon (guitarrista), Ben McKee (baixista) e Daniel Platzman (baterista). Uma vez em Las Vegas, eles gravaram diversos EPs até gravarem o álbum de estreia.

O single It’s Time chegou a alcançar a 15ª posição na lista da Billboard Hot 100 e Imagine Dragons foi nomeada como umas das “novas estrelas mais brilhantes de 2012” pela revista. Diversas de suas músicas já fizeram parte de trilhas sonoras de novelas brasileiras, do seriado Glee, de games e de filmes como Elysium e Em Chamas.

Além de serem muito competentes em estúdio, com produção impecável, os caras do Imagine Dragons também são ótimos ao vivo, com muita energia e presença de palco. As canções são uma mistura de pop, rock e eletrônica que com certeza vão fazer você querer cantar junto! Os refrões são daqueles que grudam na cabeça, então prepare-se!

Espero que, assim como eu, você também tenha ficado apaixonada pela banda e pelas músicas delicinhas deles. E aproveite que eles estão de passagem marcada para o Brasil e já guarde dinheiro para assisti-los no Lollapalooza 2014!


Leave a comment

Saudosismo e novidades

Não é muito bom relembrar artistas queridos e se surpreender com boas novidades em suas vidas? Pois bem, esses dias descobri que a lindíssima Cassadee Pope seguiu carreira solo depois que sua banda Hey Monday entrou em hiato.

CassadeePope

(foto: site oficial)

A Hey Monday foi uma banda de pop punk que fez sucesso em meados de 2008/2009 e que tinha Cassadee como vocalista, Mike Gentile na guitarra, Alex Lipshaw na guitarra base,  Jersey Moriarty no baixo e Elliot James na bateria. Entre suas música mais conhecidas estão 6 months (minha paixãozinha) e Candles (que ganhou uma versão no seriado Glee).

Em outubro de 2009, Elliot decidiu deixar a banda e foi substituído por Patrcik McKenzie durante a Glamour Kills Tour . A Hey Monday continuou com Patrick na bateria até o fim de 2011, quando Pope e o guitarrista Mike Gentile anunciaram que a banda entraria em hiato.

Desde então eu não tive mais notícia de nenhum dos integrantes do grupo, mas recentemente um amigo me mandou um vídeo deles e me instigou a pesquisar mais sobre a vida de Cassadee, que sempre me encantou com sua voz.

Logo depois que a banda entrou em hiato, ela fez uma turnê acústica solo em várias cidades dos Estados Unidos. E, em setembro de 2012, a cantora fez audições para o programa The Voice U.S.

Sua participação no reality show foi impressionante. Logo em sua apresentação de estreia, Pope já ganhou a aplausos dos jurados com a música Torn (famosa da voz de Natalie Imbruglia). Ela escolheu Blake Shelton como tutor e durante o programa ainda fez um dueto com Avril Lavigne na canção I’m With You.

Pope saiu vencedora do The Voice U.S. em dezembro de 2012 com a música Cry. de Faith Hill, nem preciso comentar o quão fucking awesome é a voz dela, né?

Agora a cantora segue em carreira solo e está cheia de novidades. Seu primeiro single, Wasting All These Tears, foi lançado em julho deste ano e em seu site oficial já estão disponíveis esta e outras canções da artista.  No dia 28 de agosto, a cantora disponibilizou o clipe de sua mais nova música, 11. O vídeo e a canção retratam a vida da artista durante a separação de seus pais, com a melodia do country americano.
A faixa fará parte de seu álbum de estreia, “Frame By Frame”,  que tem lançamento previsto para o dia 8 de outubro.

Não podia deixar de terminar o post com 6 months da Hey Monday pra matar um pouco a saudade. Espero que ela continue fazendo sucesso e tocando as pessoas com suas músicas, assim como me tocou.


Leave a comment

Meninos de paraquedas

Em um dos meus últimos posts, indiquei diversos lançamentos de álbuns para vocês. Mas teve uma banda que não entrou na lista e então aproveitei para falar sobre ela em um post separado. Parachute é um grupo estadunidense que existe desde 2008 e possui três discos de inéditas no currículo, sendo que o mais recente, Overnight, foi lançado semana passada! Ou seja, ainda está quentinho!

parachute (1)

O grupo é formado por cinco integrantes: Will Anderson (vocal/guitarra/piano), Kit French (saxofone/teclado), Alex Hargrave (baixo), Johnny Stubblefield (bateria) e Nate McFarland (guitarra). Os caras já fizeram turnê com artistas como Kelly Clarkson, Plain White T’s, Goo Goo Dolls, entre outros, como banda de apoio, e também já tiveram algumas turnês próprias. O primeiro single de sucesso da banda foi She Is Love, parte do primeiro álbum, Losing Sleep.

Uma curiosidade sobre o Parachute: Jennifer Lawrence, ganhadora do Oscar, já participou de um dos clipes da banda, The Mess I Madequando ainda não era famosa.

Parachute-The-Mess-I-Made-jennifer-lawrence-33357326-854-480

Parachute possui um som pop que alterna entre baladas mais românticas e músicas agitadas e dançantes. Do novo CD (que pode ser ouvido na íntegra no Youtube oficial da banda), indico as músicas Meant To Be, Hurricane e Can’t Help:


Leave a comment

Music is in the air!

Depois de um tempinho sem postar, nada mais justo do que um post bem bacana e musical para alegrar nosso dia, né? Diversos artistas lançaram álbuns novos nos últimos meses e eu vim aqui para compartilhar os meus favoritos!

O brasileiro Tiago Iorc acaba de lançar Zeski no iTunes e já está no Top 10 de vendas desde o primeiro dia. Sei que você deve estar se perguntando: mas por que escolher esse nome para o álbum? O que significa? Bom, Zeski nada mais é do que a segunda parte do sobrenome de Tiago: Iorczeski. Em seus trabalhos anteriores, o cantor só havia lançado músicas em inglês, mas agora podemos apreciar o lado mais brazuca de Iorc, com algumas composições em português e até um cover de Tempo Perdido, da banda Legião Urbana. Você pode ouvir Zeski gratuitamente através do site Deezer e pode comprá-lo na iTunes Store. Atenção: cópia física só será lançada mês que vem!

Outra cantora brasileira que disponibilizou o álbum gratuitamente na internet foi Sandy. Sim, seu segundo trabalho solo, pode ser ouvido através do Soundcloud. Das 10 faixas, 5 já haviam sido lançadas ano passado no EP Princípios, Meios e Fim, inclusive a canção Aquela dos 30, que tem uma batida gostosa e serviu de single para o EP/álbum. Sim tem diversas baladinhas e também músicas mais alto astral, delícia de ouvir!

Em maio, foi a vez de Demi Lovato lançar músicas novas. No álbum Demi, você pode encontrar desde pop chiclete, como Something That We’re Not e Really Don’t Care (que conta com a participação de Cher Lloyd), assim como baladas românticas, como Nightingale Warrior. Demi também debutou como diretora e co-dirigiu o videoclipe para o segundo single do álbum, Made in the USA.

Sou meio suspeita para falar dessa banda, pois sou fã de tudo que eles fazem e inclusive já contei mais sobre eles por aqui. Mas não posso deixar de citar o álbum Legendary, do grupo The Summer Set, lançado em abril. É um CD bem, bem, bem pop e como já disse no outro post, com cara de verão. Sim, estamos no inverno aqui no Brasil, mas nada como músicas animadas para nos colocar para cima e mudar o astral! Duvido que você não vai ficar com o refrão desta música na cabeça:

Sabe aquela coisa de “tenho uma notícia boa e outra ruim”? Então, é mais ou menos isso que acontece com A Rocket to the Moon. A notícia ruim é que, no começo de maio, a banda anunciou seu fim. Porém, eles lançaram um álbum novo e lindo em 2013, cheio de músicas incríveis, o Wild & Free! Infelizmente, é muito provável que a banda não faça uma última turnê em terras brasileiras, então o jeito é aproveitar as composições novas e se jogar na mistura country e pop dos rapazes.

Essas foram minhas dicas, espero que curtam. E fiquem ligados que até o fim de 2013 teremos lançamentos de Katy Perry, Lady Gaga, Arctic Monkeys e muito mais!